Como fazer 2017 ser o ano da sua vida

oceano mar

Passou, né?! 2016 se foi e cá estamos nós em um novo ano, com novos desejos, novas expectativas.

Muita gente começa o ano com gás pra tentar fazer o momento ser o melhor possível, já outras pessoas começam numa vibe meio ~fuen~, especialmente se teve um ano passado meio ruim. Por isso, a gente deve tá sempre aberto a mudar algumas coisas das nossas vidas, pra ver se a gente consegue dar um up naquilo que a gente acha que não tá legal.

2016 foi um ano massa pra mim! Eu posso não ter ficado milionário ou ter viajado pelo mundo (só isso né?!), mas tanta coisa boa me aconteceu que, hoje, eu entendo muito mais essa coisa de “um ano ser bom”. Pensando nisso, eu separei alguns hábitos/dicas que ajudaram a fazer meu 2016 ser um bom ano, coisas que vou continuar aplicando não só em 2017, mas no resto da vida.

1.Reclame menos

Isso mesmo! Pode começar a fazer isso nesse exato momento. Deixar de nhé nhé nhé vai te fazer ficar mais leve, mais de bem com a vida, vai te fazer aproveitar mais o que tem de legal em sua volta. Acreditem, é um baita exercício pra se tornar alguém mais otimista (falo isso com propriedade, já  que pessimismo era uma coisa enraizada em mim) e ver que a  maioria das coisas chatas das nossas vidas são completamente superáveis, ou seja, no drama!

2.Jogue fora o que não te serve

Tá guardando aquela lembrancinha que o ex-namorado(a) te deu antes de terminarem com aquela briga horrorosa e toda vez que você olha fica aos prantos?!  Ainda é amigo no facebook daquela pessoa que só compartilha coisa cagada e agressiva?! Bem, tá na hora de você jogar algumas coisas fora, ein. Isso é uma forma da gente ficar mais limpo das coisas que ficam magoando e pressionando a gente todos os dias e passar a guardar e cuidar apenas do que nos faz bem.

É  uma prática que pode passar pode demorar e demandar esforço (principalmente se você teve um vínculo afetivo/material muito forte), mas que traz um resultado massa, ainda mais quando a gente percebe que algo que antes magoava vira uma coisa indiferente.

3.Mais “obrigado” e menos “desculpa”

A  gente, enquanto ser humano que é, tem uma mania exagerada de se desculpar. Claro, existem momentos que  só “desculpa” cabe, mas usar a palavrinha com exagero pode trazer vários problemas pro nosso interior, especialmente quando a gente começa a absorver de maneira indireta uma culpa que não existe.

É como se você começasse a se enxergar como o único errado da história. Quando você notar que tá  se sentindo mal de tanto pedir desculpa, é porque o negócio já tá meio que fora de controle. Pra evitar isso, substitua “desculpa” por “obrigado” – “É O QUE MENINO???”  sim, isso mesmo que eu disse. Se atrasou pela terceira vez no encontro com o crush? Ao invés de já chegar com aquela voz fininha forçando chorinho pra dizer “desculpa pelo atraso, Roberval (seu crush)”, fala “Obrigado por me esperar! Que que a gente vai comer?!” Sério, isso muda  o clima de todas as relações que você vive!

4.Pense bem antes de falar

Vindo de uma pessoa que fala sem parar, vai parecer o conselho mais idiota do mundo, mas é verdade. Depois que refleti, vi que é bom a gente dá uma pensada antes de falar tudo que a gente pensa. Sim, existem momentos que vale a pena a gente botar pra fora aquilo que a gente acha, mas nem sempre isso é válido, especialmente se existir a possibilidade de você magoar alguém.

Então, sempre que você pensar que pode terminar falando alguma bobagem (ou até mesmo algo muito sério), dá uma respirada, conta até dez e coloca numa balança pra ver se vai valer a pena ou não. Isso é uma forma de exercitar paciência, tolerância e harmonia interior. Você termina ficando tão de bem com você mesmo que toca um belo foda-se pras merdas do mundo.

5.Aproveite os pequenos e bons momentos

Deve ser maravilhoso ser podre de rico (já tô aqui viajando nos pensamentos do ‘e se eu tivesse ganho na mega da virada’) e poder comprar tudo o que quiser, viajar pra onde der na telha e blá blá blá, mas se tem uma coisa que vale a pena é poder entender a importância e o valor que os momentos mais simples das nossas vidas têm.

Perder aquele almoço de família ou aquela conversa de bar com sua melhor amiga pode parecer bobagem agora, mas lá na frente pode fazer uma falta que você não tem noção! É bom começar a valorizar esses momentos, já que são eles que fazem a diferença da gente ser quem realmente é.

Tem muita coisa que poderia falar pra vocês, mas eu acredito que as coisas boas que a gente vivem durante um ano são consequências de todo o esforço que fazemos pra que aquele momento seja bom. Na prática, alguns conselhos e dicas servem, mas a coisa só vai funcionar mesmo quando você vai pra prática e se compreende enquanto pessoa.

É com atraso, mas que seu 2017 seja foda ♥

Continue Reading

Tudo muda

montanha russa

Isso mesmo, tudo muda. Em menor ou maior proporção, as coisas mudam. Mudam para o bem ou para o mal. Mudam porque precisam mudar ou talvez porque queiram mudar.

Com esse blog aqui não poderia ser muito diferente não. Eu criei sem muita pretenção, criei porque sempre gostei de escrever, criei porque eu sentia necessidade de fazer algo diferente, que me tirasse um pouco da prisão que eu achava que tava vivendo. Foi entre trabalho, faculdade e vida pessoal que o blog nasceu, tudo na base do carinho e da dedicação.

Por incrível que pareça, o blog cresceu, pouco, mas cresceu. Não cresceu nesses números estratosféricos de gente que produz vídeo pra youtube ou qualquer coisa do tipo. Cresceu na proporção que tinha que crescer e isso me fez pensar que não dava pra ficar preso no que eu achava que devia ficar. O blog, pra ser mais direto, não tinha que ficar dentro de uma caixa que eu achava que ele cabia, ele tinha que ir um pouco além.

Esse ano foi um ano bem louco (ô coisa clichê, mas é verdade!!). Vivi várias coisas (boas e ruins) que me preparam ainda mais pra viver nesse mundo que a gente tá. O “o consumista” é/era uma parte de mim e foi num “estalo” que eu vi que as coisas poderiam mudar um pouco. Mudar pro bem, claro!

A existência disso aqui vai continuar, mas vai mudar, mudar porque eu sinto que essa mudança tem que ser feita. E, claro, a essência de tudo será a mesma.

Continue Reading

Crise dos 20: 10 coisas que toda pessoa de 20 e poucos anos deveria saber

santa monica pier

Oi oi, pessoal!

20 e poucos anos é uma fase intensa, complexa e mutável pra todo mundo. Quando os “20” chegam, muita gente começa a viver uma “crise dos 20” por toda pressão que é colocada na pessoa quando esse momento chega, o que leva a pessoa a questionar “QUE QUE É QUE TÁ ACONTECENDO?????”

Cada fase das nossas vidas é preenchida de coisas que só vão acontecer naquele momento. Os risos da infância, as descobertas da adolescência e então a casa dos 20. Eu tenho 23 anos, não sou um poço de experiência, mas decidi compartilhar 10 coisas que você já deveria saber sobre esses  20 e poucos anos, pra ver que essa crise dos 20 não precisa ser tão crise assim.

  1. Você não é o centro do universo

É claro que a gente gosta de um pouco de atenção em determinados momentos de nossas vidas, seja em horas boas ou ruins. O que não dá é querer que todo mundo olhe pra gente 24 horas por dia, 7 dias por semana. Sabe aquele problema que você tá passando? Pois é, alguém ali na esquina pode tá passando pela mesma coisa (ou algo muito pior). Suas alegrias e suas tristezas não são as maiores coisas que existe – elas só são diferentes das de qualquer outra pessoa. O universo tem muito mais coisa pra fazer do que ficar vivendo em função de você, tenha certeza disso. Agir como o centro de tudo aos 20 e poucos anos é o mesmo que ser visto como alguém BEM imaturo pra lidar com as situações da vida.

2. Viva suas emoções

A sociedade da gente é repressora sim. A gente é tolhido e reprimido em vários sentidos, especialmente quando o assunto são nossas emoções. Você tem que se permitir viver todas as emoções que tiverem pra ser vividas: se for pra chorar, chore. Se for pra sorrir, ria. Se for pra falar algo, fale. Se seu coração falar, escute. Sentir o que tiver pra ser sentido é saudável, faz bem pra gente, não deixe que nada, nem ninguém controle as emoções que estão dentro de você. Viver nossas emoções é uma forma de não só superar essa “crise dos 20”, mas também se construir/desconstruir todos os dias.

3. “Pra sempre” é tempo demais

Falar “pra sempre” é algo perigoso. Quando você menos espera, a vida mostra pra você que “pra sempre” não vai funcionar. O ideal é que a gente viva o presente, sem ficar se prendendo às coisas que a gente acha que são ideais pra o “pra sempre” dar certo lá no futuro. É claro que você pode usar “pra sempre” pra muitas coisas da sua vida, mas isso exige uma responsabilidade imensa, principalmente pra fazer uma autoavaliação das coisas boas que estão acontecendo no agora.

4. Se frustrar é normal!

Não precisa ficar desesperado se você começar a ver que alguma coisa da sua vida não tá funcionando. Tá fazendo aquele curso universitário que você sente que não tem nada haver com o que você esperava? É normal! A melhor coisa a ser feita é colocar a cabeça no lugar e pensar numa boa solução pra que você não passe viver em função de uma “situação problema”. Infelizmente, a maioria das pessoas não são ensinadas pra saberem lidar com as frustrações da vida. Ter uma frustração com emprego, paixão, família é normal, não precisa pilhar por conta disso! Entenda o que te faz bem e tire o verbo “frustrar” da sua vida, certamente seus 20 e poucos anos vão ficar bem mais leves.

5. Aprenda a se amar

Antes de pensar que precisa dar amor pra sua namorada, pro seu namorado, pros seus pais, pras amigas, pros amigos, pro cachorro, periquito e papagaio, você tem que se amar de forma incondicional. Amor próprio é tudo, hoje em dia! Ame seu jeito de ser, seu corpo, seu sorriso, tudo que tá em você, já que a gente só pode dar amor sincero pros outros quando, antes de tudo, a gente se ama da forma mais verdadeira possível.

6.  Aprenda com seus erros

Foi-se o tempo em que você podia ficar errando e não tirar nenhuma lição do erro. É normal a gente fazer burrada atrás de burrada quando se é adolescente, mas aos 20 e poucos anos a gente já tá no caminho pra vida adulta (que vai exigir um pouquinho de responsabilidade e maturidade pras coisas darem certo). Fez cagada? Tira um tempo pra respirar e pensar em tudo, vê onde você tem e onde você não tem razão, coloca um pouco de racionalidade na situação, resolve e tira a melhor lição possível pra que você amadureça de uma forma saudável.

7. Equilibrar o “racional” com o “emocional” é fundamental (rimou!)

Todo mundo sempre vai tender a ser um pouco mais racional ou sentimental, mas não é legal deixar a gente ser dominado por apenas uma dessas características. A vida (que é muito esperta e irônica) sempre dá um jeito de exigir que a gente mude um pouco nossa forma de lidar com as situações que vivemos todos os dias. É super ok ser mais emocional quando o assunto é amigos e namorado, mas levar esse mesmo comportamento emotivo pro trabalho pode ser um tiro no pé. Com 20 e poucos anos, já tá na hora de saber como agir em cada situação da vida, por isso é importante saber equilibrar e dosar a emoção e razão em cada momento vivido.

8. Esqueça essa coisa de “ser bem sucedido aos 20 e poucos anos”

A sociedade (especialmente nossa família) projeta uma série de coisas para nossas vidas no momento que a gente nasce. É claro que essas projeções vão ficar mais maçantes com o passar do tempo, principalmente no fim da adolescência, quando a gente tem que escolher ~~ uma faculdade pra ser bem sucedido antes dos 30 ~~. Sério, essa coisa de ser milionário aos 20 e poucos anos só funciona pra algumas pessoas (principalmente se já for uma pessoa rica de berço, algo que deve ser muito bom). Estude e trabalhe não pensando em ser rico na casa dos 20, estude e trabalhe pra que você cresça enquanto pessoa e profissional, o resto vem por tabela. Se você achar que tá se frustrando por não tá conseguindo ver os zeros aumentarem na sua conta bancária, é só lembrar do ponto 4 que falei ali em cima!

9. O tempo passa (rápido!) – vai viver!

É normal a gente se lamentar por algumas coisas, ficar pensando sobre o futuro, remoer umas coisas do passado. Ruim é quando esquecemos que o presente é o agora, que o tempo tá correndo e que o relógio não tá com a mínima paciência pra ficar esperando a gente decidir que vai viver. Tudo acontece num piscar de olhos: parece que foi ontem que todo mundo ficava grudado na TV esperando a Vagabanda tocar em Malhação, ou quando você tava com seus 16 anos pensando como iria entrar numa balada pra maiores de idade e hoje, aos 20 e poucos anos, tá todo mundo com as mãos na cabeça pra saber como vai pagar a fatura do cartão. Viva cada momento da sua vida sabendo que ele é único, que cada segundo tem que ser aproveitado e que tudo que aconteceu hoje (ou há alguns minutos atrás) jamais vai acontecer amanhã de novo.

10. Seja você

Parece meio óbvio, né?! Mas, boa parte das pessoas que nos cercam não são quem elas realmente querem ser. Muita gente é apenas uma projeção de expectativas dos pais, da família, do namorado(a), das amigas(os), uma projeção que fica reprimindo quem você é de verdade. Essa “repressão” termina impedindo que a galera de 20 e poucos anos expresse a sua personalidade, seus sonhos, seus desejos, deixando tudo de lado pra viver algo que pode não trazer felicidade. A melhor coisa a ser feita é você ser realmente quem você quer ser, mostrando pro mundo o lado mais verdadeiro e original de você mesmo. Não adianta viver uma “mentira”, isso não vai te fazer feliz, não vai te completar e muito menos vai ajudar no funcionamento das engrenagens da sua vida.

Quer compartilhar algo que você aprendeu ou vem aprendendo durante a fase dos 20 e poucos anos? É só deixar um comentário pra gente aí embaixo 🙂

Continue Reading

Semanas que se resumem em comida

Se tem uma coisa que eu tenho consciência é que boa parte do meu dinheiro é gasto com comida. Eu AMO comer, não posso negar isso, mas uma coisa que venho notando nas últimas semanas é que isso tem tanto me prejudicado no bolso e na saúde.

Claro que sair uma vez na semana com aquela pessoa especial não mata, mas deslizar já na segunda-feira quebra a dieta financeira e alimentar de qualquer um.

Como eu venho tentando me policiar pra evitar muitos gastos sem necessidade e também dar uma controlada na alimentação (já que meu último emprego alterou um pouco a minha rotina), trago um resumo do que fiz nos últimos dias em formato de foto-de-comida-pra-morrer.jpg pra dar inveja em alguns e me fazer chorar vendo o tanto de caloria que consumo e como gasto minhas dracmas de ouro.

  1. Mojito e comida Tex-Mex no Escalante’s

mojitoescalantes

O Escalante’s é um restaurante de comida Mexicana e Texana daqui de Recife. É um dos meus locais favoritos: preço médio, atendimento bacana e ambiente massa. Pra quem não quiser escolher o prato à la carte, o local tem a opção de rodízio (que é a que escolho, pois gordo). Da última vez que fui, fugi da tequila e fui pro mojito, que é bem suave, bom pra quem não gosta de sentir tanto o gosto do rum. Dica: peçam os churros com doce-de-leite de sobremesa.

        2. Rock Brownie do Rock & Ribs Steakhouse

snapsv

Minha relação com o Rock & Ribs do Amazéns do Porto daqui de Recife é meio que de amor e ódio: a comida é muito boa, o ambiente é ótimo, mas o preço é meio salgado e o atendimento não é lá essas coisas. O snap save é um prato que a concorrência deles faz um pouco mais elaborado, mas ainda sim a do R&R é deliciosa: Rock Brownie – um brownie com sorvete de creme e chantilly, finalizado (me sentindo chef gourmet) com calda e raspas de chocolate (acabei de morrer aqui desejando uma).

A dica é que a melhor entrada é a Mountain Fries: batata-frita com mix de queijos e bacon, podem pedir sem medo. O preço do prato é “ok” e serve umas 3 pessoas fácil fácil.

 

     3. Visitando o Rood Bike Club de Caruaru, PE

roodbike
Fritas sequinhas com um molhinho de pimenta

Recentemente, eu fui visitar minha família numa cidade daqui do interior de Pernambuco, chamada Caruaru. Apesar de ser uma cidade do interior, a cidade vem ganhando uma cara bem urbana nos últimos anos, o que motiva muita gente abrir seu próprio negócio por lá.

Inaugurado no final do ano passado, o Rood Bike Club é um bistrô de noite e uma oficina de bicicletas pela manhã. O ambiente é muito bom, a galera que atende é bem atenciosa e o preço é bem convidativo. Pedimos uma porção de fritas, que vem com um molho de pimenta sensacional, e uma porção de mini burgers (a carne tava muito bem temperada, sérião). Aconselho chegar um pouco cedo, já que o local fica bem cheio, além do que você pode usar parte do tempo pra conhecer a decoração do local, que também conta com uma loja de ~~roupas moderninhas~~ e artigos esportivos.

Caso goste de vinho, cerveja e/ou drinks, peça pra conhecer a cartela deles, bem variada, agradando gregos e troianos.

roodbike
Mini Burgers – quando o prato chega, parece que saiu do Pinterest
Continue Reading

Passos da Semana — Doce, Drink e Cinema

Resumo de mais uma semana desinteressantemente interessante

1.Gordinho na Cheesecake – Segunda-Feira (13/06)

chessecake
Cheesecake de goiaba delícia do Palácio Café

2.Outback + Cinema – Terça-Feira (14/06)

drinkoutback
Recomendaria esse drink do Outback se não tivesse achado que senti demais o gosto do álcool. A comida tava uma delícia e eu não tirei foto por motivos de: fome
invcmal2
Depois de jantar com o boy, a digestão foi feita vendo Invocação do Mal 2 (que a gente tava doido pra ver). Indicadíssimo pra quem gosta do gênero e pra quem também não gosta (só deixar de ser cagão/cagona e ir num cinema).

Boa semana e beijos de luz!

Continue Reading

“Recife Coffee” – Conhecendo o Pequeno Expediente Café

Oi, povo!

Essa semana, uma amiga da faculdade fez o favor de reforçar meus hábitos alimentares (a.k.a gula) me falando de um evento que eu nem sabia que tava acontecendo aqui em Recife, que se chama “Recife Coffee”. Se você já participou de alguma Restaurant Week aí pelo Brasil (se nasceu em berço de ouro, pode incluir “pelo mundo”), a pegada é basicamente a mesma: pagar um valor cheio pra comer um menu completo.

IMG_3443

Diferente da RW, que você paga por uma entrada, prato principal e uma sobremesa, no Recife Coffee você vai pagar um preço fixo pra consumir um café, um produto salgado e um produto doce. No meu caso, bateu logo um nervoso de gordinho porque eu fiquei sabendo que as 15 cafeterias que tão participando do evento estão oferecendo o conjunto pela bagatela de R$17,90, que é um valor barato, se a gente para pra pensar que tem cafeteria-franquia que cobra R$12 só no cafezinho.

O evento, que começou dia 2 e vai até o dia 29 de Maio, tem três objetivos básicos: disseminar a cultura do consumo do café, dar espaço de divulgação pra locais mais intimistas (tanto que só pequenos negócios podem participar do evento, redes grandes de cafeteria ficam de fora), além de realizar uma ação social com a coleta de material de higiene infantil pra Creche Nossa Senhora da Boa Viagem, que atualmente cuida de 110 crianças com menos de 5 anos.

IMG_3452

Como eu gosto de café e amo comer (amo mesmo, de verdade verdadeira), não pensei duas vezes e fui no estabelecimento que tava mais próximo da minha faculdade, que se chama “Pequeno Expediente Café”, um local pequeno e super confortável pra você dar uma pausa nas atividades e/ou terminar seu dia de trabalho. De cara, peguei logo um panfleto que falava mais um pouco sobre o evento, explicando que cada cafeteria teve a liberdade para criar seu menu ou montar um com o que já estava presente no cardápio. O local tem uma temática dedicada à divulgação da história e notícias da Assembleia Legislativa de Pernambuco (tanto que o papel de parede é todo de jornal com notícias reais).

papeldeparedepec

 

O panfleto traz, também, um mapa gigante de onde cada uma das 15 cafeterias está situada em Recife, além de trazer uma síntese do menu e da história de cada local, o que é bom, já que você pode se planejar e ir no lugar que mais te agradar. Pra poder desfrutar do evento, você deve pedir pela “Sugestão do Barista”, que é justamente essa parte especial do cardápio criada pra Recife Coffee.

No caso do Pequeno Expediente Café, o conjunto inclui um Cappuccino Joaquim Nabuco (que leva café, leite vaporizado, leite condensado e ovomaltine), um sanduíche criado só pro evento, que leva presunto de parma, gorgonzola e abacaxi, e um mini waffle com morango e Nutella (babem de vontade de comer!!). Sério, digo logo que valeu muito a pena, já que o preço foi compatível com a qualidade da comida, que, por sinal, matou minha fome ( que é constante). Além disso, o atendimento foi super rápido e a barista que tava no local foi mega atenciosa, explicando tudo sobre o evento e o menu da casa.

cpec
Cappuccino Joaquim Nabuco <3
Mesmo que você não tenha um paladar refinado (também não tenho), vai amar o sabor do recheio
Mesmo que você não tenha um paladar refinado (também não tenho), vai amar o sabor do recheio do sanduíche.
wpec
Síntese da minha gula nessa imagem aí

Caso tenha ficado aquela curiosidade pra saber quais cafeterias estão participando da Recife Coffee, vou deixar a lista com os endereços dos 15 estabelecimentos aqui embaixo. Informações mais detalhadas estão no Instagram e no Facebook dedicados ao circuito gastronômico.

Bom café pra vocês! 🙂

Instagram e Facebook do Pequeno Expediente Café

Lista com o endereço de todos estabelecimentos participantes do circuito:

A Vida é Bela – Rua Francisco Lacerda, 394, Várzea
Apolo Beer Café – Rua do Apolo, 164, Recife Antigo
Malakoff Café – Av. Abdias de Carvalho, 1142, Prado
Tokyo’s Café – Av. Doutor Malaquias, 79, Graças
Vovó Nice – Rua José Bonifácio, 668, Torre
Espaço Sensorial do Café – Rua Ribeiro de Brito, 901, Boa Viagem
Bogart Café – Rua Afonso Pena, 96,Santo Amaro
Café com Dengo – Rua Teles Júnior, 489, Aflitos
Madalena Café – Rua Prof. Benedito Monteiro, 224, Madalena
Malakoff Café – Av. Abdias de Carvalho, 1142, Prado
Na Venda – Rua Amélia, 373, Graças
Café do Brejo – Rua Capitão Lima, 20, Santo Amaro
Ernesto Café – Rua Abelardo, 58, Graças
Fervo – Rua Sá e Souza, 878, Setúbal
Lalá Café – Rua Barão de Itamaracá, 284, Espinheiro
O Pátio – Av. Rui Barbosa, 141, Graças
Pequeno Expediente – Rua Mamede Simões, 115, Santo Amar

Continue Reading

Passos da Semana — Cheesecake, livraria e games

Oi oi, personas!

Eu sei que pra um domingo, que  basicamente é um dia de ócio, a gente deveria usar o cérebro pra coisas produtivas. Mas, no meu caso, é dia ocioso até pros meus miolos. Pensando nisso, segue um resumão dos meus passos na minha desinteressantemente interessante semana (+ dicas bônus).

1.Palácio Café – Segunda-Feira (18/04)

IMG_3235

O local é uma das minhas cafeterias favoritas daqui de Recife. A primeira vez que fui foi por indicação de uma amiga, no final de 2014. Hoje em dia, sempre que termino minhas atividades do trabalho, tento dar uma passada lá, que tem “palácio” no nome por ficar do lado do Palácio da Justiça, sede do Tribunal de Justiça de Pernambuco. Tudo é muito bom: preço (economia meu povo!!), bebidas, comidas, além do atendimento.

A foto tem meu “combo” favorito: cheesecake de frutas vermelhas com soda italiana de maçã verde, que dá algo em torno de R$15 (super barato se a gente tomar por base as cafeterias de “”renome”” que Recife tem). Se quiser dar uma passada, o endereço é 117 – R. Frei Vicente do Salvador, 1 – Santana, Recife – PE, 50010-030.

2. Livraria Saraiva – Terça-Feira (19/04)

IMG_3272

Dentro de um shopping center, livraria tá no meu “top 5 lojas favoritas”. Sério, perco a noção do tempo dentro de uma, ainda mais se for bem estruturada feito a Saraiva. Eu AMO ler, então passo horas e horas folheando livros e revistas. Fui no RioMar Shopping resolver burocracia e terminei dando uma “passadinha” (que rendeu a compra de um livro que eu trago pro blog em outro post!) no local.

3. GamerZ Burguer – Quarta-Feira (20/04)

IMG_3285

A hamburgueria GamerZ Burguer era um local que já tava pendente pra ir com meu boyfriend desde que inaugurou (meados de Outubro de 2015), mas só na última quarta-feira que a gente tomou vergonha na cara pra ir conhecer. O lugar é incrível: traz vários elementos da cultura gamer junto com hambúrgueres (respeitando a língua portuguesa usando o plural) artesanais, como o cardápio tendo todos os itens com nomes de personagens ou de games.

O local tem um primeiro andar contando com vários consoles old school (Nintendo 64, Super Nintendo, Mega Drive…) pra você jogar enquanto a comida não chega ou tá esperando uma mesa ficar livre, fato que ganhou váááários pontos comigo, já que detesto ficar esperando pra comer.

Falando da comida, não tenho o que reclamar. Eu e o boy pedimos duas porções de batata-frita com molho de queijo, um hambúrguer duplo (que a gente achou que fossem dois sanduíches, mas na verdade é um sanduíche com duas carnes artesanais gigantes, que estavam bem temperadas) e uma sobremesa que não lembro o nome, mas levava sorvete, brownie, chantilly e também tava maravilhosa. Como sou gordo de corpo e alma, comi antes de tirar foto, só depois que me toquei.

A gente comeu horrores e gastamos pouco mais de R$60, valor que valeu muito a pena levando em conta a comida, o espaço e o atendimento.

Boa semana pra vocês!

Continue Reading